sexta-feira, 21 de outubro de 2011

Math Homework

terça-feira, 18 de outubro de 2011

10 Questions for Stephen Hawking

segunda-feira, 17 de outubro de 2011

Greatest Equations

Thank A Teacher

Take a moment... and thank your teacher. I have many things and people to thank for. :)

terça-feira, 11 de outubro de 2011

Spacelab: YouTube à procura dos cientistas do futuro


O popular site de partilha de vídeos, YouTube, acaba de lançar um novo concurso destinado a jovens entre os 14 e os 18 anos que pretendam ver realizada uma determinada experiência científica a bordo da Estação Espacial Internacional (ISS).

Sozinhos ou em grupos que podem ir até três pessoas, os participantes do "Space Lab in YouTube " só têm de realizar um vídeo até dois minutos, descrevendo uma experiência nos domínios das Ciências da Vida ou da Física (áreas científicas disponibilizadas na ISS), e submetê-lo até 7 de dezembro no YouTube. A experiência é que interessa, dizem os organizadores, mas uma apresentação criativa poderá ajudar a "vender" a ideia. Os candidatos podem submeter até três experiências (cada uma em seu vídeo).

A 3 de Janeiro de 2012 serão anunciados os 60 finalistas, altura em que se iniciará a votação do júri e dos internautas. (Retirado do Expresso, 11 de Outubro de 2011)

Mais informações aqui.


NGC 7635: The Bubble Nebula

Sol é o "culpado" dos últimos invernos frios

Investigadores britânicos coligiram dados sobre os ultravioletas registados pelo satélite SORCE. Os ciclos de atividade solar, que têm uma regularidade de 11 anos, podem ser integrados nos modelos de previsão climática com maior rigor, e com melhores resultados ainda. É a tese de um grupo de investigadores britânicos, que modelou aquela atividade e a incluiu nos modelos climáticos. Com isso, os investigadores conseguiram explicar melhor os invernos mais rigorosos que se fizeram sentir desde 2008 até agora, no hemisfério Norte. (Retirado do DN, 11 de Outubro de 2011)


Descoberto no Pacífico o maior vírus de sempre

O maior e mais complexo vírus jamais visto – e que é também o primeiro a viver no mar – acaba de ser descoberto por cientistas franceses. Baptizado Megavirus chilensis e isolado ao largo da costa chilena, é hoje descrito por Jean-Michel Claverie e colegas, da Universidade Aix-Marseille, França, na revista Proceedings of the National Academy of Sciences, como sendo “cabeludo e com espigas na cabeça” . Recorde-se que um vírus é basicamente uma molécula de ADN dentro de um invólucro de proteínas e que precisa de parasitar células vegetais ou animais para se conseguir replicar.
O novo vírus é ainda maior do que o anterior detentor do recorde, o Mimivirus, que foi descoberto em 2003 e possui mais de mil genes – o que o torna mais complexo do que muitas bactérias. Já o Megavirus chilensis é 15 % maior do que Mimivirus, com a sua sequência genética a comandar o fabrico de 1120 proteínas diferentes. “Não conhecemos o hospedeiro natural de Megavirus chilensis, mas ele não parece ser patogénico para os seres humanos”, diz Claverie, citado pela AFP. (Retirado do Público, 11 de Outubro de 2011)

sexta-feira, 7 de outubro de 2011

Best Micro-Photos of 2011

Melosira moniliformis
(Frank Fox, Trier University of Applied Sciences, Germany)

quarta-feira, 5 de outubro de 2011

Nobel da Química atribuído a Daniel Shechtman


O Prémio Nobel da Química foi hoje atribuído ao israelita Daniel Shechtman (70 anos), do Instituto Technion, em Haifa, Israel, “pela descoberta dos quase-cristais”, anunciou em Estocolmo, a capital sueca, o comité Nobel.Os quase-cristais, materiais cujos átomos formam padrões geométricos regulares que nunca se repetem, eram considerados contrários às leis da Natureza. Shechtman provou que existem.
Na manhã de 8 de Abril de 1982, quando Shechtman, que na altura trabalhava no National Institute of Standards and Technology (NIST), nos EUA, olhou ao microscópio electrónico para a mistura de alumínio e manganésio, material cuja estrutura atómica estava a estudar, pensou (em hebraico): “Esta criatura não pode existir”.
A imagem que tinha obtido “mostrava uma série de círculos concêntricos, cada um composto por dez pontinhos luminosos a igual distância uns dos outros”, explica o Comité Nobel em comunicado. “Shechtman contou e tornou a contar os pontinhos. Círculos com quatro ou seis pontinhos teriam feito sentido, mas não dez, de maneira nenhuma." Ler o resto da notícia. Retirado do Público, 5 de Outubro de 2011)

terça-feira, 4 de outubro de 2011

Nobel da Física para Saul Perlmutter, Brian Schmidt e Adam Riess

O Prémio Nobel da Física foi atribuído aos norte-americanos Saul Perlmutter, do Lawrence Berkeley National Laboratory (EUA), Brian Schmidt (que tem também nacionalidade australiana), da Universidade Nacional Australiana e Adam Riess, da Universide Johns Hopkins (EUA) “pela descoberta da aceleração da expansão do Universo através da observação de supernovas distantes” anunciou hoje em Estocolmo, a capital sueca, o comité Nobel. Perlmutter recebe metade do montante do prémio; Schmidt e Riess partilham a outra metade. Ler o resto da notícia. (Retirado do Público, 4 de Outubro de 2011)

Dark Matter Movie from the Bolshoi Simulation

Bolshoi Simulation from UC-HPACC on Vimeo.

sábado, 1 de outubro de 2011