quarta-feira, 27 de julho de 2011

Vulcanismo raro detectado na face oculta da Lua


Descoberta explica uma concentração invulgar de tório num ponto entre as duas crateras Compton e Belkovich. Publicada na Nature Geoscience por um grupo internacional de investigadores, a descoberta resolve um enigma: o da origem de um grupo de estruturas identificado do outro lado da Lua, em 1998, pela sonda Lunar Reconaissance Orbiter, que contêm uma alta concentração de um elemento radioactivo chamado tório. Precebeu-se agora que a sua origem é vulcânica. O magma que ali escorreu era rico em sílica. Retirado do DN, 27 de Julho de 2011.

Elementary

quinta-feira, 21 de julho de 2011

Descoberta nova lua em Plutão

Mesmo despromovido da sua anterior condição de planeta, Plutão, que é agora um planeta-anão, continua a dar alegrias aos cientistas. Graças ao telescópio espacial Hubble, os astrónomos descobriram mais uma lua de Plutão, a quarta. Temporariamente designada P4 (P de Plutão, 4 por ser a quarta lua), este novo corpo celeste nos confins gelados do sistema solar vem juntar-se às outras três luas conhecidas na órbita de Plutão: Charon, Hydra e Nix.

Esta P4 é a lua mais pequena das quatro, com um diâmetro para já estimado entre os os 13 e os 34 quilómetros. Charon, a maior das quatro, tem mil quilómetros de diâmetro. Já Nix e Hydra têm respectivamente 32 e 113 quilómetros de diâmetro.

A descoberta foi feita pelo telescópio Hubble, durante observações realizadas no início deste mês, no âmbito de um programa de observação sistemática daquele longínquo planeta-anão que está a preparar a missão da NASA New Horizons, com viagem marcada para lá em 2015. Ler o resto da notícia. (Retirado do DN, 21 de Julho de 2011)

Atlantis Farewell from Parkes

quarta-feira, 20 de julho de 2011

Astronomia no Verão



Observar as estrelas, a Lua e os planetas do Sistema Solar, espreitar objectos longínquos no firmamento, sempre na companhia dos astrónomos e dos seus telescópios, é o programa da Astronomia no Verão. São mais de 600 acções por todo o país, organizadas por instituições científicas, associações de astrónomos amadores, escolas, museus e Centros Ciência Viva. Mais informações aqui.

Noctilucent Clouds Over Edmonton

sábado, 9 de julho de 2011

The last trip

quarta-feira, 6 de julho de 2011

Innovation

sexta-feira, 1 de julho de 2011

Descoberto “monstro de luz” vindo da juventude do Universo


As extremidades do Universo são um portal do tempo poderoso. A luz que nos chega hoje de estrelas longínquas levou milhões de anos a atravessar o espaço e é um retrato do passado desses astros. É por isso que os cientistas procuram objectos antigos que revelam detalhes do início dos tempos. Desta vez, encontraram o mais antigo quasar, um monstro de matéria que expulsa luz e ilumina tudo à volta, com 12,9 mil milhões de anos. A descoberta foi publicada nesta quinta-feira, na revista Nature. Ler o resto da notícia. (Retirado do Público, 1 de Julho de 2011)