domingo, 31 de janeiro de 2010

Experiências para fazer em casa: ovos e densidade 2

Quando queremos cozinhar ovos podemos usar um truque simples para ver se estão estragados: colocando o ovo num copo com água, este afunda porque é mais denso que a água.
Na primeira parte desta experiência podes verificar o que acontece quando colocas um ovo em água doce e em água salgada. O ovo flutua em água salgada porque a água salgada é mais densa que a água doce.


A segunda parte da experiência consiste em colocar o ovo a flutuar no meio do copo, colocando a água salgada e a água doce no mesmo copo. Não é magia, apenas a densidade em acção.



Para saberes como fazer a experiência vai até aqui ,onde tens o material e o procedimento.
Quero agradecer aos alunos do 7ºA, 7º E e 7ºF pela participação e pelas excelentes fotografias. :)

Uma simples ida à praia...




Cores de uma chama

Exemplo de uma reacção de combustão no dia-a-dia.

Questões:
1- Explica porque razão a cor da combustão da vela é amarela e a cor da chama do maçarico é azul.
2- Escreve a equação de palavras da combustão completa do carbono.

Cinco das reacções químicas mais comuns

Vídeo que ilustra cinco reacções químicas mais comuns: síntese, decomposição, combustão, oxidação-redução e precipitação.

quinta-feira, 28 de janeiro de 2010

Tétis e Titã

NASA lança sonda para estudar o Sol

A NASA vai lançar para o espaço uma sonda que irá estudar de forma aprofundada o comportamento do Sol. Chama-se «Solar Dynamics Observatory» (SDO) e tem descolagem prevista para dia 9 de Fevereiro. O SDO é uma das maiores sondas alguma vez postas em órbita. Os seus painéis solares, com uma área de 6,6 metros quadrados, vão providenciar toda a energia que esta necessita. Os seus telescópios estão equipados com filtros especiais que registarão continuamente imagens do Sol com uma resolução dez vezes maior do que uma televisão de alta definição. A sonda pesa 3100 quilogramas. Ler o resto da notícia. (Retirado do CiênciaHoje, 28 de Janeiro de 2010)


Uma experiência simples e divertida na cozinha

Esta é uma experiência simples: só precisas de água, pimenta, detergente da loiça e um recipiente.




O que ocorre: A pimenta flutua devido à tensão superficial da água: quando colocamos o detergente a tensão diminui e a pimenta deposita-se no fundo do recipiente.

sábado, 23 de janeiro de 2010

Tabela Periódica divertida


Um site muito interessante que permite testar os conhecimentos sobre a Tabela Periódica e aprender de uma forma divertida.

Reacção dos metais alcalinos com a água

Dois pequenos vídeos que mostram a reacção de metais alcalinos com a água. Como o vídeo do programa Brainiac mostra, é preciso respeitar as regras de segurança porque alguns destes metais reagem violentamente com a água.





Legendagem de Carlos Portela

Uma explicação original

quarta-feira, 20 de janeiro de 2010

Experiências para fazer em casa

Este ano volto a trazer a Química e a Física lá para casa: são experiências simples e divertidas que mostram como a Química e a Física estão presentes no dia-a-dia.
Com o apoio dos Encarregados de Educação os alunos vão realizar as suas experiências, cujas imagens vou publicar no blogue. Agradeço desde já a todos os alunos que enviarem imagens e aos Encarregados de Educação pela ajuda e paciência.
Vejam as fotos das experiências e experimentem!



Experiência para fazer em casa: Líquidos e densidade

O que acontece quando misturamos água, álcool, detergente da loiça, xarope, mel, azeite?
Estes líquidos têm densidades diferentes e podemos observar que existem líquidos que flutuam noutros líquidos. No fundo do copo fica o mel, que é o mais denso e no topo o azeite, menos denso.
A outra parte da experiência consistia em testar a densidade de vários materiais: o clip, o algodão, o pão e a cortiça.
Para saberes como fazer a experiência vai até aqui, onde tens o material e o procedimento.
Deixo aqui algumas fotografias dos resultados.

Quero agradecer aos alunos do 7ºA, 7º E e 7ºF pela participação e pelas excelentes fotografias. :)



Aqui ficam mais algumas. :)

Paisagem marciana

Imagem encontrada aqui.

Carro solar atraiu alunos de Cozinha para as Ciências e valeu prémio europeu

Um professor conseguiu transformar factores de insucesso numa história com final feliz: conquistou alunos de um curso de Cozinha para as aulas de Ciências com o projecto de um carro solar que acabou por ficar em primeiro lugar num concurso europeu.
Destinado a aumentar a consciencialização das crianças e jovens para as questões relativas à eficiência energética, o concurso convidava os estudantes a criarem projectos em quatro categorias distintas. Os alunos portugueses venceram o desafio de conceber um veículo que pudesse trabalhar com o mínimo possível de gasolina ou fosse movido por uma diferente fonte energética, ao apresentarem um projecto de automóvel solar. Ler o resto da notícia. (Retirado do Público, 20 de Janeiro de 2010)

domingo, 17 de janeiro de 2010

Recursos sobre a Tabela Periódica

Para auxiliar os meus alunos do 9ºano deixo aqui alguns recursos sobre a Tabela Periódica.
A Ptable é uma ferramenta muito interessante e útil para conhcer os diferentes elementos que constituem a Tabela Periódica: basta arrastar o rato sobre o elemento para visualizar as informações e se quiser saber mais, clique sobre o elemento pretendido.


O projecto da Universidade de Nottingham, com vídeos sobre as propriedades dos elementos, é outro excelente recurso para observar as reacções de elementos que não encontramos normalmente nas escolas.



Recreio vs tecnologia

Telemóvel que funciona com Coca-Cola

A designer Daizi Zheng criou um telemóvel que utiliza uma bio-bateria e que pode funcionar até com Coca-Cola.
A bio-bateria produz electricidade a partir dos hidrocarbonetos e utiliza enzimas como catalisadores. A bio-bateria tem o potencial de durar três ou quatro vezes mais em uma única carregada e é totalmente biodegradável. O ambiente agradece! (Uma sugestão do blog Olha que maneiro)

Uma reacção química multicolor

A reacção de Belousov–Zhabotinsky.

sábado, 16 de janeiro de 2010

O eclipse mais longo do milénio


O primeiro eclipse solar deste ano aconteceu no dia 15 de Janeiro e é considerado o maior do milénio – com uma duração de 11 minutos e oito segundos. A Nasa facultou uma observação frontal e detalhada do acontecimento – especialmente visível a partir do Sudeste Asiático e da África.
A Birmânia (Myanmar) foi o país onde melhor se pode contemplar o fenómeno astronómico e onde alcançou a máxima duração. Ler o resto da notícia. (Retirado do CienciaHoje, 15 de Janeiro de 2010)

quarta-feira, 13 de janeiro de 2010

A beleza do mundo microscópio 7: os acuçares


Glucose

Maltose

Sucrose

Frutose

Galactose

Imagens encontradas aqui.

Uma nova forma de convencer os alunos a ler livros

sábado, 9 de janeiro de 2010

Astrónomos revelam o segundo exoplaneta mais pequeno encontrado até agora

“Esta descoberta é espantosa porque nos mostra que estamos a encontrar planetas, fora do nosso sistema solar, cada vez mais pequenos”, explicou o astrónomo Andrew Howard, da Universidade da Califórnia em Berkeley, no último dia da 215ª conferência da Sociedade de Astronomia Americana.
Este planeta longínquo, chamado HD156668b, encontra-se a 80 anos-luz da Terra (um ano-luz equivale a 9460 mil milhões de quilómetros) na Constelação Hércules. O planeta gravita em redor da sua estrela durante cerca de quatro dias.
A equipa de astrónomos - com investigadores da Universidade de Califórnia em Berkeley, da Universidade de Yale, do Instituto de Tecnologia da Califórnia e da Universidade Penn State - utilizou um dos dois telecópios Keck que se encontram no monte Mauna Kea, no Havai, a 4145 quilómetros de altitude. O método de detectação consiste em medir os efeitos da gravidade do planeta na sua estrela. Quando o planeta passa em frente da sua estrela provoca uma ligeira alteração na intensidade luminosa. Ler o resto da notícia. (Retirado do Público, 9 de Janeiro de 2010)

Porque brilham os pirilampos?

A presença dos pirilampos à noite tem o seu quê de mágico. Infelizmente este é um fenómeno difícil de apreciar na cidade. E como produzem os pirilampos a sua luz?
Este fenómeno de libertação de luz visível é designado por bioluminescência, e envolve a combinação de dois tipos de substâncias com a produção de luz: a luciferina, a substância que produz a luz e a luciferase, a enzima que catalisa a reacção. Mais informações aqui.

Colonizar a Lua

quarta-feira, 6 de janeiro de 2010

Já é possível misturar água e azeite

Foi graças a um catalisador, e à consequente aceleração química da mistura, que investigadores da Universidade de Oklahoma conseguiram juntar água e azeite. Daniel Resasco, professor de Engenharia de Materiais Químicos e Biológicos da Universidade de Oklahoma, garante que isto nunca tinha sido feito.
Esta investigação permite avançar com as técnicas de refinamento de combustíveis. “Os combustíveis comuns só contêm componentes hidrofóbicos e os biocombustíveis contêm compostos oxigenados como os aldeído, álcoois e ácidos que são muito solúveis em água”, explica Daniel Resasco, um dos autores do estudo ao El Mundo.
“A novidade é que estas nanopartículas que temos desenvolvido são capazes não só de estabilizar emulsões de água e azeite como também de catalisar reacções”, adiantou o cientista. Ler o resto da notícia. (Retirado de CiênciaHoje, 6 de Janeiro de 2010)

segunda-feira, 4 de janeiro de 2010

domingo, 3 de janeiro de 2010

Qual é mesmo a letra?


Roentgen e os raios X.

sábado, 2 de janeiro de 2010

Evolução do modelo atómico - breve resumo

A ideia de que tudo é constituído por átomos existe desde, pelo menos o século V a.C . Para os filósofos gregos Leucipo (430 a.C) e Demócrito (400 a.C) a matéria era composta por pequeníssimas partículas em movimento. Mas não havia qualquer meio de se saber se os átomos existiam de facto; a ideia apenas parecia fazer sentido.

No princípio do século XIX o químico britânico John Dalton (1766-1844), ao estudar as reacções químicas, descobriu que quando duas substâncias se combinam numa reacção, as quantidades que se unem fazem-no em certas proporções fixas. O modelo atómico ajudou a explicar o que Dalton via nas suas experiências químicas. Dalton propôs a teoria do modelo atómico, onde o átomo é uma minúscula esfera maciça, neutra e indivisível (modelo da bola de bilhar).

No final do século XIX surgem algumas evidências que o átomo não é indivisível. Para Thomson (1856-1940) o átomo seria uma esfera maciça, com carga positiva, com os electrões, com carga negativa, na sua superfície. Este modelo ficou conhecido como o modelo do pudim de passas.

Em 1907 Rutherford (1871-1937) realiza algumas experiências que mostram que este modelo não estava totalmente correcto. Ao disparar partículas carregadas positivamente a alta velocidade contra uma folha de ouro, verificou que algumas voltavam para trás. A experiência de Rutherford ajudou a demonstrar que as cargas positivas e negativas não estavam misturadas de modo a formarem bolas homogéneas. Propôs que a maior parte do átomo era espaço vazio, estando a carga positiva (protões) localizada no núcleo, com os electrões a movimentarem-se em torno do núcleo. Dada a semelhança com o modelo do sistema solar, este modelo ficou conhecido por modelo planetário. Apesar de revolucionário o modelo de Rutherford não conseguia explicar porque é que o electrão não caia no átomo.

Para Bohr (1885-1962) os electrões não se encontravam em qualquer posição: movimentavam-se à volta do núcleo em órbitas circulares, fixas e definidas. Bohr definiu também o número de electrões presentes em cada camada e mostrou que apenas algumas órbitas seriam possíveis, correspondendo cada uma delas a um nível bem definido de energia.

O modelo actual aceite é o da nuvem electrónica, onde se não se representam as trajectórias mas as zonas onde há maior probabilidade de encontrar os electrões (orbitais).


Avanço tecnológico?

Dez descobertas científicas de 2009 com selo português

Investigadores portugueses, dentro ou fora de portas, marcaram pontos em 2009. Alguns estiveram mesmo na base de descobertas de grande impacto internacional. A detecção de ADN com uma vulgar impressora, a descodificação do genoma do cancro da mama ou a descoberta de novos planetas são alguns dos avanços envolvendo cientistas nacionais que marcaram o ano que terminou. Ler o resto da notícia. (Retirado do DN, 2 de Janeiro de 2010).