quarta-feira, 15 de setembro de 2010

Restos de supernova na matéria de um meteorito

Nanopartículas de um meteorito que caiu na Terra em 1864 tinham traços de um isótopo raro, sugerindo que na origem do sistema solar esteve uma gigantesca explosão.
Esta investigação começou em 1864, quando um meteorito de nove quilos caiu na localidade francesa de Orgueil. Na altura, o objecto foi levado para o Museu Nacional de História Natural, de Paris. Mas o valor científico deste meteorito não estava completamente explorado: recentemente, uma equipa internacional franco-americana descobriu ali partículas de matéria que adensam os mistérios sobre a origem do sistema solar. Os cientistas dizem ter encontrado rastos da explosão de uma supernova que ocorreu há 4,5 mil milhões de anos e cujos materiais se julga terem estado na origem do nosso Sol.
A equipa de cientistas analisou 1500 grãos retirados no meteorito de Orgueil e encontrou nanopartículas extraordinariamente ricas num isótopo de Crómio (Crómio 54) muito raro na natureza. A conclusão a que chegaram os cientistas das Universidades de Chicago e de Lille, além do CNRS francês, num artigo publicado em The Astrophysical Journal, é de que esta matéria (que tinha mil vezes menos do que a espessura de um cabelo humano) já existia antes da própria formação do sistema solar. Ler o resto da notícia. (Retirado do DN, 15 de Setembro de 2010)

Sem comentários: