terça-feira, 14 de setembro de 2010

Nova explicação para interacção entre Quarks e Gluões


Um novo fenómeno na interacção entre Quarks e Gluões (substância enigmática que une um quark e um anti-quark para formar o mesão) identificado por uma equipa de investigadores liderada pelo físico Eef Beveren, da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra (FCTUC), compromete alguns conceitos da actual Teoria das Interacções Fortes entre Quarks, misteriosas partículas subatómicas constituintes de toda a matéria – a interacção não gera novas partículas subatómicas, como se pensava, mas um mero efeito dispersivo, segundo foi hoje anunciado.
O estudo, que envolve também os físicos George Rupp, do Instituto Superior Técnico em Lisboa (IST), e Jorge Segovia, da Universidade de Salamanca, acaba de ser publicado na Physical Review Letters – revista de referência em toda a área da Física – e usou informação resultante de experiências realizadas nos laboratórios de SLAC (Stanford, EUA) e de KEK (Tsukuba, Japão). Nestas experiências são estudados pequenos sistemas, chamados mesões, formados pela união de um quark e um anti-quark, através de colisões que ocorrem nos grandes aceleradores de partículas. Ler o resto da notícia. (Retirado do CiênciaHoje, 14 de Setembro de 2010)

Sem comentários: