domingo, 31 de maio de 2009

Centro de fusão nuclear inaugurado na Califórnia quer obter energia ilimitada até 2040

A inauguração oficial do novo centro de fusão nuclear decorreu hoje no estado da Califórnia, nos Estados Unidos. Depois de quinze anos de construção, mais sete anos do que o previsto e um custo total de 3,5 mil milhões de dólares (2,48 mil milhões de euros), quase o triplo do que se esperava, os EUA tem agora o mais potente centro do mundo para conseguir produzir energia ilimitada.
“Se a energia por fusão resultar vai haver um fornecimento ilimitado de energia sem carbono associado, que não é sensível à geopolítica” disse ao diário "New York Times" Ed Moss, director do projecto do National Ignition Facility. O plano é que a central comece a fazer os testes em 2010 e aperfeiçoe a tecnologia até 2040.
A fusão nuclear tem sido uma das maiores esperanças do mundo para se obter energia ilimitada e mais limpa. O objectivo é reproduzir os processos químicos que têm lugar dentro das estrelas. Através de lasers, os técnicos do novo centro vão injectar energia numa pequena esfera de hidrogénio – com o diâmetro de um cabelo – para aquecê-lo até vários milhões de graus. A esta temperatura os átomos de hidrogénio conseguem fundir-se e transformam-se em hélio, o segundo elemento da Tabela Periódica. Durante o processo é libertada uma quantidade significativa de energia, como acontece nas estrelas, bastante mais limpa do que a energia nuclear convencional. Já se conseguiu a fusão nuclear, mas até agora gastou-se mais energia do que a que se retirou do processo. A National Ignition Facility quer inverter isso. Ler o resto da notícia. (Retirado do Jornal Público, 29 de Maio de 2009)

sexta-feira, 29 de maio de 2009

Einstein e a escola :)

Quando o Sol se escondeu há 90 anos, na ilha do Príncipe, confirmou-se a Teoria da Relatividade

Einstein era desconhecido. E os cálculos que constituíam a Teoria da Relatividade estavam por confirmar. Um eclipse solar, no dia 29 de Maio de 1919, na ilha do Príncipe, ajudou Arthur Eddington, astrónomo inglês, a provar que Einstein estava certo. E há documentos que provam que Portugal contribuiu para isso. Alguns deles só foram descobertos agora, 90 anos depois.
Há duas semanas, Luís Aires Barros, presidente da Sociedade de Geografia de Lisboa, decidiu mergulhar nas relíquias do sótão da instituição. Um grupo de investigadores preparava um regresso ao Príncipe para comemorar os 90 anos da expedição do astrónomo Arthur Stanley Eddington à ilha, onde confirmou a Teoria da Relatividade Geral de Albert Einstein, e Aires Barros queria ver se conseguia encontrar documentos que mostrassem que Portugal contribuiu para a célebre viagem.
Começou a abrir caixotes onde estavam encerrados documentos desde 1914 a 1918. E encontrou verdadeiras relíquias. Cartas trocadas entre a Sociedade de Geografia de Lisboa e a Royal Geographical Society de Londres, com dados que ajudaram a preparar a viagem de Eddington.
São cartas manuscritas, outras dactilografadas, entre o então secretário-geral perpétuo da Sociedade de Geografia, Ernesto de Vasconcellos, e o seu homólogo inglês, Arthur Hinks, e ainda cartas da Sociedade de Geografia com a Sociedade de Agricultura Colonial, no Príncipe. Mapas da ilha do Príncipe, ainda de finais do século XIX, e dados pormenorizados, em tabelas meteorológicas de números pequeninos, com toda a informação sobre chuva, temperatura e horas de luz da ilha do Príncipe, registados no mês de Agosto e ao longo de três anos, entre 1914 e 1916. Tudo para preparar a expedição de Eddington. Ler o resto da notícia. (Retirado do Jornal Público, 29 de Maio de 2009)

Como ter uma casa energeticamente eficiente

Vídeo do programa O planeta agradece, da RTP1 com dicas para poupar energia em casa.

quarta-feira, 27 de maio de 2009

Meteorito tem grandes quantidades de molécula orgânica do caldo químico que deu origem à vida

O meteorito do Lago Tagish revelou ter uma quantidade enorme de ácido fórmico, um composto orgânico que os cientistas acreditam ter sido importante no ambiente químico da Terra antes de haver vida. Os resultados foram apresentados na reunião da American Geophysical Union, que está a decorrer no Ontário, Canadá.
O corpo celeste caiu em Janeiro de 2000 no lago Tagish, que fica no extremo ocidental da Colúmbia Britânica, já perto do Alasca. Na altura foram recuperados entre cinco e dez quilos do condrito – um tipo de meteorito formado no início do sistema solar, quando os planetas tinham uma composição química homogénea – que, segundo o que se analisou, é composto principalmente por minerais como olivina, magnetite e vários carbonatos.
Através da medição da órbita à entrada da atmosfera terrestre, calcula-se que o meteorito do Lago Tagish fosse originário da Cintura de Asteróides, entre Marte e Júpiter. Ler o resto da notícia. (Retirado do Jornal Público, 26 de Maio de 2008)

A extinção dos livros pela internet?


terça-feira, 26 de maio de 2009

Experiência para fazer em casa: Quente ou Frio?

Questão:
Será o nosso corpo um bom medidor da temperatura? As sensações de quente e de frio são idênticas para todas as pessoas?


Material:
- Três recipientes
- Água à temperatura ambiente, água quente e água com gelo

Procedimento:
1. Coloca uma das mãos mergulhada no recipiente com água quente e a outra mão no recipiente com água com gelo. Espera algum tempo.
2. Em seguida, retira ambas as mãos ao mesmo tempo dos recipientes e coloca-as juntas sem se tocarem uma na outra no recipiente com água à temperatura ambiente.
3. Observa o que ocorre.
4. Regista as tuas informações e envia um comentário sobre o que observaste.

domingo, 24 de maio de 2009

Um futuro muito distante?


Como funcionam os furacões?

Está próxima a data da abertura oficial da época dos furacões (1 de Junho). Todos os anos, entre o dia 1 de Junho e 30 de Novembro, os furacões (também designados por tufões ou ciclones) ameaçam as costas leste e do golfo dos Estados Unidos, México e América Central, sendo seguidos atentamente pelo Centro Nacional de Furacões dos EUA.
Os furacões são extremamente destrutivos, podendo matar milhares de pessoas e causar elevados prejuízos quando atingem áreas populosas. Dificilmente podemos esquecer as imagens de destruição do furacão Katrina.

Mas o que são os furacões e como se formam? Este artigo responde a estas questões e a muito mais.

Que combustível utilizaremos no futuro? - células de combustível



terça-feira, 19 de maio de 2009

Uns têm o Twitter, outros adaptam-se...

O entusiasmo da procura

segunda-feira, 18 de maio de 2009

Gulbenkian cria Casa das Ciências para professores do básico e secundário


A pensar nos professores das áreas científicas do ensino básico e secundário, a Fundação Calouste Gulbenkian lança esta manhã, o portal na Internet chamado A Casa das Ciências e coordenado pelo professor Ferreira Gomes, da Universidade do Porto.
Os professores podem registrar-se e aceder a mais de 700 conteúdos educativos na área da Matemática, Física, Química, Biologia e Geologia. Estes estão em constante actualização.
Segundo um comunicado da Gulbenkian, todos os materiais colocados ou recomendados são “sujeitos a uma avaliação prévia segundo critérios de rigor científico e pedagógico”. (Retirado do Jornal Público, 18 de Maio de 2009)

Visão assustadora!


Base de uma super cumulonimbus


Bigorna de uma Cumulonimbus vista por satélite

sábado, 16 de maio de 2009

Usar químicos, eu? Nem pensar! É tudo natural!

Experiência: Água e pressão

No interior do copo ocorre uma reacção de combustão, com a produção de água e dióxido de carbono, gases mais densos do que o ar, que diminuem a pressão no interior do copo. Como a pressão do meio externo é maior o líquido é forçado a entrar na taça.Mais sobre a experiência.

quarta-feira, 13 de maio de 2009

Satélites Herschel e Planck descolam dia 14 de Maio

Aproveita esta oportunidade e assiste ao vivo dia 14 de Maio ao lançamento dos satélites Herschel e Planck (início às 14h). O telescópio espacial Herschel vai estudar a formação das estrelas e das galáxias, enquanto que o observatório Planck destina-se a analisar a irradiação emitida pelo “Big Bang” há 13,7 mil milhões de anos.


OAL: Sabia que?


.. foi Júlio César quem instituiu o Ano Bissexto no nosso calendário? E qual a origem do termo "bissexto"? A resposta a esta e outras questões está aqui.

A meteorologia não é uma ciência exacta :)

domingo, 10 de maio de 2009

Efeito da pressão atmosférica nos objectos

Evolução? :)

quinta-feira, 7 de maio de 2009

Fenómenos meteorológicos

Deixo aqui algumas imagens deslumbrantes recolhidas no EUMETSAT de fenómenos meteorológicos.

Frente fria em Portugal
Nuvem de SO2 sobre a Europa após erupção do vulcão Kasatochi

Ciclone aproxima-se da Península Ibérica
Inverno na Europa
Um típico dia de Primavera

Circulação do vento na atmosfera

Dois pequenos vídeos que exemplificam a circulação dos ventos na atmosfera.


terça-feira, 5 de maio de 2009

Estudo mostra que já existiram planetas que foram tragados pelas suas estrelas

Um dos mais recentes exoplanetas descobertos tem os dias contados. O CoRoT-7 B está apenas a 2,4 milhões de quilómetros de distância da sua estrela (mais próximo do que Mercúrio está do Sol) e, segundo as mais recentes investigações, tem mil milhões de anos de vida antes de ser destruído e engolido pela sua estrela.
“As órbitas destes planetas variam muito lentamente, ao longo de escalas temporais de dezenas de milhões de anos”, afirma Brian Jackson, astrónomo do Laboratório Planetário e Lunar da Universidade de Arizona, citado pelo site ScienceDaily. “Ao fim de muito tempo, a órbita do planeta aproxima-o suficientemente da estrela para que a gravidade comece a destruí-lo.”
O investigador é o primeiro autor de um artigo que está para ser publicado no “Astrophysical Journal” que prova que um planeta com uma órbita muito próxima dos seu sol pode ser engolido pela própria estrela. Esta uma teoria foi desenvolvida há um par de anos através de modelos de computador. Ao estudar um dado sistema estelar, os astrónomos desenvolviam modelos sobre o número de planetas que esse sistema tinha, unsando modelos computorizados ara calcular as variáveis. Mas as observações directas mostram que planetas que se previa estarem perto das estrelas, muitas vezes não existem. Ler o resto da notícia. (Retirado do Jornal Público, 4 de Maio de 2009)

Físicos portugueses descobrem cinco novas partículas

Uma equipa de físicos portugueses das Universidades de Coimbra e Lisboa descobriu cinco novas partículas subatómicas, chamadas "mesões", que um dos seus autores comparou a notas da partitura de uma nova música.
"Vejo tudo isto como pautas em que tentamos descobrir música a partir de poucas notas", disse hoje à Agência Lusa o físico teórico português de origem holandesa Eef van Beveren, do Centro de Física Teórica da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra.
"O que nós fizemos foi descobrir mais cinco e isso significa que temos agora uma sequência de 11 notas numa linha e isto já dá para descobrir qual é a música que está ser contada", afirmou Eef van Beveren. "A partir disto vamos fazer a sugestão de qual a música que está em todas as pautas".
O estudo, já aceite para publicação pela revista EuroPhysics Letters - uma revista europeia de referência no domínio da Física -, foi feito a partir de um modelo matemático único desenvolvido por van Beveren e George Rupp para decifrar os resultados de uma experiência realizada num acelerador de partículas japonês por um consórcio internacional de investigadores conhecido por Grupo Belle. Ler o resto da notícia. (Retirado do Diário de Notícias, 5 de Maio de 2009)

domingo, 3 de maio de 2009

Vantagens das alterações climáticas? :)

80 Km com um litro de água?

Fazer 80 Km com um litro de água? Parece ficção mas não é. Foi desenvolvida no Japão pela Nikkei Electronics Genepax Co. Ltd., uma célula de combustível (Water Energy System ), que gera energia a partir da água e do ar, sem emissão de dióxido de carbono. O mecanismo de geração de energia é semelhante a uma célula de combustível que utiliza o hidrogénio como combustível. A água é separada em oxigénio e hidrogénio através de uma reacção química. E qualquer tipo de água serve. Ler mais.

sexta-feira, 1 de maio de 2009

Energia cinética e energia potencial

Applet interessante que permite explorar várias situações relativas à variação da energia cinética e da energia potencial.

Mergulhadores e pressão

Um mergulhador está sujeito a pressões bastante superiores à pressão atmosférica: a 50 metros de profundidade a pressão exterior é cerca de 6 atmosferas. Nestas condições a respiração de ar de uma botija introduziria nos pulmões seis vezes mais oxigénio em cada inspiração do que à pressão normal, com o consequente envenenamento por excesso de oxigénio. Também aumentaria a quantidade de azoto dissolvido no sangue, com efeitos narcotizantes. Por isso as botijas contêm ar diluído em hélio, que é um gás inerte e menos solúvel no sangue do que o oxigénio e o azoto.
Devido a esta diferença de pressão a subida de um mergulhador à superfície deve ser gradual. A rápida diminuição de pressão apresenta dois riscos: ruptura das membranas dos pulmões e formação de bolhas de ar no sangue. (Retirado de Química, V. M.S. Gil)

Os vídeos seguintes mostram uma pequena experiência que exemplifica as diferenças de pressão num mergulho e um exemplo de um peixe que vive a 9 Km de profundidade a pressões elevadas.