sexta-feira, 10 de julho de 2009

Harry Potter e o manto da invisibilidade: uma realidade cada vez mais próxima?

Investigadores da Universidade Autónoma de Barcelona deram mais um passo para que o manto de invisibilidade, um dos artefactos mais populares imortalizados pela literatura e pelo cinema, se torne realidade. A chave da invisibilidade está na utilização de um determinado tipo de luz, em conjugação com os chamados metamateriais.
A ideia de combinar luz e metamateriais não é nova. Ela foi pela primeira vez enunciada em 2007 por dois investigadores britânicos, John Pendry e Ben Wood, do Imperial College de Londres. A capa seria fabricada a partir dos tais metamateriais, cuja estrutura pode ser manipulada a nível atómico, para modificar a maneira como as suas moléculas interagem com as ondas luminosas. Tal objecto não teria reflexo nem sombra, de acordo com as simulações propostas pelos dois ingleses.
No ano passado foi a vez de dois grupos de investigadores da Universidade de Berkeley, nos Estados Unidos, anunciarem que o manto de Harry Potter estava mais próximo de se tornar realidade. As equipas fizeram experiências com materiais fabricados em micro-rede, e em três dimensões, e mostraram que o efeito de invisibilidade era experimentalmente realizável. Os trabalhos foram publicados em Agosto de 2008, respectivamente nas revistas Nature e Science. Neles, os investigadores explicavam que, graças a um novo material, conseguiam desviar a direcção da luz, de tal forma que a imagem, ou o objecto, que a emitia deixava de ser visível.
Agora entrou na corrida a equipa de Barcelona, dirigida por Àlvar Sánchez. Os investigadores espanhóis anunciaram que conseguem tornar um objecto invisível, utilizando ondas electromagnéticas de muito baixa frequência.
O dispositivo concebido pela equipa espanhola torna um objecto invisível a um determinado tipo de luz. O metamaterial usado em Barcelona é constituído por uma rede irregular de placas, que lhe dá propriedades magnéticas precisas: permite criar zonas invisíveis ao campo magnético e a campos electromagnéticos de baixa frequência. (Retirado de DN, 10 de Julho de 2009)

5 comentários:

Henrique Gil disse...

a comunidade de mágicos deve estar subindo no teto dos teatros!

Carlos Pires disse...

Patrícia:

A notícia é muito interessante e mostra como a ciência é fascinante, capaz de satisfazer a inteligência mas também a imaginação.

Todavia, apesar do mérito do post vejo-me obrigado a criticar-te!
Acho lamentável a referência ao Harry Potter, esse desprezível subproduto literário!

Como é evidente, a figura literária que merecia ser referida naquele contexto eram as capas (que também tornavam os seus portadores invisíveis ou quase) oferecidas pelos elfos ao Frodo e ao Sam no "Senhor dos Anéis".
Isso sim! É literatura!

Guilherme disse...

Muito curtido. Talvez, no futuro, chegue a oferecer um manto de invisibilidade aos meus filhos no natal.
Uma pergunta, tendo em conta os actuais conhecimentos de física para que quando é que será provável a comercialização destes incríveis produtos??

Luis Felipe disse...

Se a pesquisa civil já está relativamente proxima de conseguir, eu diria que os militares já o conseguiram faz tempo. Imagina as aplicacoes que isso teria para as forcas armadas ?

Patrícia Raposo disse...

Ainda no campo da experiência mas com umas aplicações muito promissoras. Sugiro outro post interessante sobre o tema: http://quarksegluoes.blogspot.com/2009/02/roupa-invisivel-melhor-forma-de.html