sexta-feira, 1 de maio de 2009

Mergulhadores e pressão

Um mergulhador está sujeito a pressões bastante superiores à pressão atmosférica: a 50 metros de profundidade a pressão exterior é cerca de 6 atmosferas. Nestas condições a respiração de ar de uma botija introduziria nos pulmões seis vezes mais oxigénio em cada inspiração do que à pressão normal, com o consequente envenenamento por excesso de oxigénio. Também aumentaria a quantidade de azoto dissolvido no sangue, com efeitos narcotizantes. Por isso as botijas contêm ar diluído em hélio, que é um gás inerte e menos solúvel no sangue do que o oxigénio e o azoto.
Devido a esta diferença de pressão a subida de um mergulhador à superfície deve ser gradual. A rápida diminuição de pressão apresenta dois riscos: ruptura das membranas dos pulmões e formação de bolhas de ar no sangue. (Retirado de Química, V. M.S. Gil)

Os vídeos seguintes mostram uma pequena experiência que exemplifica as diferenças de pressão num mergulho e um exemplo de um peixe que vive a 9 Km de profundidade a pressões elevadas.




Sem comentários: