domingo, 31 de maio de 2009

Centro de fusão nuclear inaugurado na Califórnia quer obter energia ilimitada até 2040

A inauguração oficial do novo centro de fusão nuclear decorreu hoje no estado da Califórnia, nos Estados Unidos. Depois de quinze anos de construção, mais sete anos do que o previsto e um custo total de 3,5 mil milhões de dólares (2,48 mil milhões de euros), quase o triplo do que se esperava, os EUA tem agora o mais potente centro do mundo para conseguir produzir energia ilimitada.
“Se a energia por fusão resultar vai haver um fornecimento ilimitado de energia sem carbono associado, que não é sensível à geopolítica” disse ao diário "New York Times" Ed Moss, director do projecto do National Ignition Facility. O plano é que a central comece a fazer os testes em 2010 e aperfeiçoe a tecnologia até 2040.
A fusão nuclear tem sido uma das maiores esperanças do mundo para se obter energia ilimitada e mais limpa. O objectivo é reproduzir os processos químicos que têm lugar dentro das estrelas. Através de lasers, os técnicos do novo centro vão injectar energia numa pequena esfera de hidrogénio – com o diâmetro de um cabelo – para aquecê-lo até vários milhões de graus. A esta temperatura os átomos de hidrogénio conseguem fundir-se e transformam-se em hélio, o segundo elemento da Tabela Periódica. Durante o processo é libertada uma quantidade significativa de energia, como acontece nas estrelas, bastante mais limpa do que a energia nuclear convencional. Já se conseguiu a fusão nuclear, mas até agora gastou-se mais energia do que a que se retirou do processo. A National Ignition Facility quer inverter isso. Ler o resto da notícia. (Retirado do Jornal Público, 29 de Maio de 2009)

Sem comentários: