sexta-feira, 26 de dezembro de 2008

Animal ou planta?

É uma pequena lesma marinha com três centímetros de comprimento, que vive na costa atlântica da América do Norte, e que tem um poder até agora desconhecido na Natureza entre o reino animal: depois de comer uma alga adquire a capacidade de fotossíntese característica das plantas.

Chama-se "elysia chlorotica" e foi descoberta por uma equipa de investigadores de universidades norte-americanas e da Coreia do Sul, liderada por Mary Rumpho-Kennedy, professora de bioquímica e investigadora na Universidade do Maine. Segundo a revista científica 'New Scientist', a lesma marinha "é a forma suprema de energia solar: come uma planta e torna-se fontossintética". Este híbrido animal-planta gelatinoso de cor verde parece uma folha de árvore e conquista essa capacidade - que se mantém durante vários meses - com genes provenientes da alga que come, a "vaucheria litorea".

O pequeno ser obtém os cloroplastos - isto é, os objectos celulares verdes ricos em clorofila que permitem às células das plantas converter a luz solar em energia - e armazena-os nas células ao longo do seu intestino. O mais curioso é que as "elysia chlorotica" no estado jovem que se alimentem de algas durante duas semanas, podem viver o resto das suas vidas - um ano, em média - sem comer.

Mas os cientistas ainda não conseguiram descobrir tudo sobre este estranho ser marinho, como reconhecem num artigo publicado na revista de referência mundial 'Proceedings of the National Academy of Sciences'. Com efeito, os cloroplastos contêm ADN para codificar apenas 10% das proteínas necessárias para os manter activos e a equipa norte-americana está a ponderar várias explicações para este mistério. Mas, apesar disso, Mary Rumpho-Kennedy admite que "estes organismos fascinantes podem transformar o próprio ensino dos princípios básicos da biologia".

Texto publicado na edição do Expresso de 29 de Novembro de 2008

quarta-feira, 24 de dezembro de 2008

No espírito natalício...

Uma magnífica imagem tirada pela tripulação da missão Apollo 8 em 1968. No espírito natalício uma mensagem de reflexão: será preciso ir à Lua para tomarmos consciência da fragilidade do nosso planeta? Nas suas resoluções de fim de ano inclua-a. As gerações futuras (e, se não começarmos já, a actual também) agradecem.

terça-feira, 23 de dezembro de 2008

Físico de Oxford inventa óculos com lentes ajustáveis para os mais pobres

Um professor jubilado de Física da Universidade de Oxford, Josh Silver, inventou óculos ajustáveis às necessidades de visão dos seus portadores, que poderão, segundo espera, ajudar milhões de pessoas nos países pobres a ver melhor.
A pessoa que precisar de corrigir a visão deverá aumentar ou diminuir a quantidade de líquido introduzido pela seringa nas lentes, ajustando assim a sua potência. Logo que a visão estiver corrigida, basta fechar a entrada de líquido nos óculos e retirar as seringas.

“O princípio é tão simples que qualquer pessoa o pode entender facilmente”, diz o inventor. Ler o resto da notícia.
(Retirado do Jornal Público, 23 de Dezembro de 2008)

sábado, 20 de dezembro de 2008

Observatório Astronómico de Lisboa: Solstício de Inverno

Este ano o Solstício de Inverno ocorre no dia 21 de Dezembro às 12h04m. Este instante marca o início do Inverno no Hemisfério Norte. É a estação mais fria do ano e prolonga-se por 88,99 dias até ao próximo Equinócio (primavera) que ocorre no dia 20 de Março de 2009 às 11h44m.
Solstícios: pontos da eclíptica em que o Sol atinge as posições máxima e mínima de altura em relação ao equador, isto é, pontos em que a declinação do Sol atinge extremos: máxima no solstício de Verão e mínima no solstício de Inverno. A palavra de origem latina (Solstitium) está associada à ideia de que o Sol ficaria estacionário, ao atingir a sua posição mais alta ou mais baixa no céu. Ler mais.

quinta-feira, 18 de dezembro de 2008

Viagem ao centro da Terra


Já imaginaste o que seria necessário para fazer uma viagem ao centro da Terra? O livro de Júlio Verne, adaptado novamente para o cinema, mostra uma perspectiva pouco realista de como seria o centro da Terra. Se fosse possível fazer esta viagem quais as condições (temperatura e pressão) a que estaríamos sujeitos? Este vídeo do Discovery Channel mostra como.

Descobertas por acidente que mudaram o mundo: a penicilina

A penicilina foi descoberta por Sir Alexander Fleming (1881-1955) a partir do fungo Penicillium notatum. Esta descoberta acidental ocorreu quando o médico trabalhava no seu laboratório e espirrou sobre uma placa de cultura onde cresciam colónias de bactérias. Alguns dias depois Fleming notou que as bactérias tinham sido destruídas no local onde se tinha depositado o fluido nasal. Notou também que a colónia de um fungo (Penicillium notatum) tinha crescido espontaneamente numa das placas de Petri contendo Staphylococcus aureus. Fleming observou as outras placas e verificou que as colónias bacterianas à volta do fungo eram transparentes devido à morte das bactérias.

Em 1945 recebe, juntamente com E. B. Chain e H. W. Florey, o Prémio Nobel de Medicina e Fisiologia pela descoberta das propriedades bactericidas do fungo Penicillium Notatum e pela síntese da penicilina. Este fármaco começa a ser utilizado em 1929 e torna-se de grande utilidade durante a Segunda Guerra Mundial. Deve-se a Fleming a descoberta dos antibióticos e o início de uma nova era da medicina.

domingo, 14 de dezembro de 2008

O Pai Natal segundo a Física

De Rerum Natura: MAIS HUMOR NA CIÊNCIA - O PAI NATAL NÃO EXISTE

Na Terra, há cerca de dois mil milhões de crianças (por criança, entende-se todo o indivíduo com menos de 18 anos). Contudo, como o Pai Natal não vai visitar as crianças muçulmanas, hindus, judias ou budistas (salvo eventualmente no Japão), o volume de trabalho para a noite de Natal fica eventualmente reduzido a 15% do total, ou seja, a 378 milhões. Contando uma média de 3,5 crianças por casa, temos 108 milhões de casas. O Pai Natal dispõe de cerca de 31 horas de trabalho na noite de Natal, devido à existência de diferentes fusos horários e à rotação da Terra, admitindo a hipótese de que viaja de Leste para Oeste, o que, de resto, parece lógico.

Tal equivale a 967,7 visitas por segundo, o que significa que para cada lar cristão com uma criança bem comportada pelo menos, o Pai Natal dispõe de cerca de um milésimo de segundo para estacionar o trenó, sair, descer pela chaminé, encher as meias com as prendas, distribuir o resto dos presentes junto ao pinheiro, provar as guloseimas que lhe deixam, voltar a subir a chaminé, saltar para o trenó e dirigir-se para a casa seguinte.

Supondo que essas 108 milhões de paragens se distribuem uniformemente à superfície da Terra (hipótese que sabemos falsa, mas que aceitamos como primeira aproximação), teremos que contar com cerca de 1,4 km por trajecto, o que significa uma viagem total de mais de 150 milhões de quilómetros, sem contar com os desvios para reabastecimento ou fazer chichi.

O trenó do Pai Natal desloca-se pois à velocidade de 1170 km/s (3000 vezes a velocidade do som). A título de comparação, o veículo mais rápido fabricado pelo homem, a sonda Ulisses, não vai além dos 49 km/s e uma rena média consegue correr quando muito a 27 km/h. A carga útil do trenó constitui igualmente um elemento interessante. Supondo que cada criança apenas recebe o equivalente a uma caixa de Legos média (cerca de um quilo), o trenó suporta mais de 500 mil toneladas, sem contar com o peso do Pai Natal. Em terra, uma rena convencional não consegue puxar mais de 150 kg. Mesmo supondo que a famosa "rena voadora" tem um desempenho dez vezes superior, o Pai Natal não consegue cumprir a sua missão com 8 ou 9 animais; precisará de 360 000, o que vem aumentar a carga útil em mais 54 000 toneladas, abstraindo já do peso do trenó, o que corresponde a sete vezes o peso do Príncipe Alberto (o barco, não o monarca). 600 000 toneladas a viajar a 1170 km/s produzem uma enorme resistência do ar, a qual provoca um aquecimento das renas, tal como um engenho espacial ao entrar na atmosfera terrestre. As duas renas da frente absorveriam cada uma a energia de 14 300 milhões de joules por segundo. Em resumo, entrariam quase instantaneamente em combustão, pondo perigosamente em risco as duas renas seguintes. O rebanho de renas vaporizar-se-ia completamente em 4,26 milésimos de segundo, isto é, o tempo exactamente necessário ao Pai Natal para chegar à quinta casa.

Tal, porém, não é o pior. O Pai Natal, passando fulgurantemente da velocidade instantânea nula a 1170 km/s num milésimo de segundo, ficaria sujeito a uma aceleração tremenda. Um Pai Natal de 125 quilogramas (que seria ridiculamente magro) ver-se-ia esmagado contra o fundo do trenó por uma força de 2157 507,5 quilogramas-força, o que lhe reduziria instantaneamente os ossos e os órgãos a uma pequena massa pastosa.

Isto é: se o Pai Natal existiu, já morreu!

quarta-feira, 10 de dezembro de 2008

Campos magnéticos

Como actuam os campos magnéticos? Estas duas experiências mostram o que parece ser um truque de ilusionismo, mas que tem uma explicação muito simples: lembra-te que num íman os pólos opostos repelem-se.

Iman levitante






Uma aplicação prática deste conceito: Comboios de levitação magnética (Maglev)

O Maglev é um comboio de levitação magnética que é propulsionado pelas forças atractivas e repulsivas do magnetismo. Devido à falta de contacto entre o veículo e a linha, a única resistência que existe é entre o aparelho e o ar. Estes comboios conseguem atingir velocidades enormes, com relativo baixo consumo de energia e pouco ruído. O seu custo elevado limitou a sua utilização, sendo utilizado na ligação ao Aeroporto Internacional de Pudong (Japão), realizando um percurso de 30 km em apenas 8 minutos.

terça-feira, 9 de dezembro de 2008

Enxame globular M13



Mais uma imagem fantástica do telescópio Hubble, onde podemos ver um enxame globular com milhões de estrelas, que fazem lembrar um globo de neve. Localizado a 25 000 anos-luz este enxame tem um diâmetro de 150 anos-luz.

Estudantes descobrem um planeta extrasolar

Três estudantes universitários, da Universidade de Leiden nos Países Baixos, descobriram um planeta extrasolar. O extraordinário achado, que apareceu durante o seu projecto de pesquisa, tem cerca de cinco vezes a massa de Júpiter. É também o primeiro planeta a ser descoberto em torno de uma estrela muito quente e com uma alta rotação.
Os estudantes testavam um método de investigar flutuações de luz de milhares de estrelas na base de dados OGLE de um modo automático. Descobriram que o brilho de uma das estrelas diminuia cerca de 1% durante duas horas a cada 2,5 dias. Observações posteriores, pelo VLT do ESO no Chile, confirmaram que este fenómeno é provocado pela passagem de um planeta em frente da estrela, bloqueando parte da luz estelar em intervalos regulares. (Retirado de Astronomia On-Line, 6 de Dezembro de 2008)

domingo, 7 de dezembro de 2008

Tecidos inteligentes: Que roupa usaremos no futuro?

Que roupa usaremos no futuro? A Philips está a desenvolver várias tecnologias que prometem revolucionar o nosso modo de vestir.
A tecnologia Lumalive permite reproduzir diferentes símbolos, logos, mensagens curtas, e até mesmo animações no tecido do casaco. O sistema é totalmente integrado no tecido, o que torna praticamente invisível. A área onde é armazenada a bateria e os circuitos eléctricos podem ser facilmente retirados para lavagem do casaco.
Outro aspecto explorado pela Philips é a utilização da roupa como forma de protecção. A Down Corning´s Active Protective System é um sistema inteligente de tecido multi-camadas, com revestimento de silicone, que tem a capacidade de reagir a impactos, tornando-se instantaneamente mais rígido e protegendo o utilizador de eventuais incidentes. Assim que os sinais de impacto desaparecem o tecido volta ao seu estado normal, retomando a sua flexibilidade. Os militares e alguns desportistas poderão ser beneficiados com este tipo de tecnologia, dado que ambos desempenham actividades que requerem um certo grau de protecção.
Outra novidade da Philips é a já patenteada tecnologia Muscle Wires, que consiste na utilização de pequenas tiras de titânio que adquirem uma propriedade flexível quando é aplicada electricidade. Com esta tecnologia será possível reajustar o tamanho de um casaco para se adequar perfeitamente à estatura do proprietário, através da manipulação destes "fios musculares".

Universidade da Beira Interior demonstra protótipos de vestuário inteligente

A Universidade da Beira Interior (UBI), na Covilhã, está a desenvolver protótipos de vestuário inteligente, que interage com o utilizador e outros aparelhos e que os investigadores acreditam antecipar o futuro.

Duas dessas peças estão em demonstração na MOVE 08 - Mostra de Design de Moda da UBI: uma cinta que mede a frequência cardíaca e um casaco que serve de telecomando para ligar ou desligar aparelhos eléctricos. (Retirado do jornal Público, 7 de Dezembro de 2008)

sexta-feira, 5 de dezembro de 2008

Água e Gravidade Zero!

Vídeo muito interessante em inglês que mostra algumas experiências da NASA com água em situações de gravidade zero.

segunda-feira, 1 de dezembro de 2008

Como resolver o problema do gelo nas estradas

Nestes últimos dias temos visto como a neve tem dificultado a circulação dos automobilistas, com o encerramento das auto-estradas como o IP4 e a A7. Claro que umas correntes para os pneus ajudam a tarefa mas podemos utilizar outras estratégias.
Um dos truques para resolver o problema é adicionar sal ao gelo, porque o sal faz diminuir a temperatura a que a água congela. Quando a água atinge a temperatura de 0ºC ela congela. Quando colocamos o sal a água passa a ter um ponto de fusão mais baixo, fazendo com que a água passe para o estado líquido e só volte a congelar quando a temperatura estiver muito inferior ao seu ponto de fusão.
Neste vídeo podes ver uma aplicação deste conceito numa experiência simples e divertida.

Reacções de combustão no dia-a-dia: fotossíntese, respiração e queima de gás propano

A fotossíntese e a respiração são reacções essenciais à vida e dois exemplos de reacções de combustão no dia-a-dia. A fotossíntese, que ocorre no cloroplasto das células vegetais, necessita de dióxido de carbono, água e energia para produzir o oxigénio e a celulose indispensável para o crescimento das plantas. A respiração transforma a glicose (C6H12O6) em energia, dióxido de carbono e água.
Outro exemplo de reacções de combustão é a utilização do gás propano quando cozinhamos. Devemos ter alguns cuidados na utilização de aparelhos com gás dado que locais pouco arejados podem conduzir a combustões incompletas e à produção de monóxido de carbono.

Questões: (resposta até dia 6 de Dezembro)
1. Escreve e acerta a equação química da combustão completa do C6H12O6.
2. Escreve e acerta a equação química da combustão completa do propano.
3. Escreve e acerta a equação química da combustão incompleta do propano.