domingo, 2 de novembro de 2008

Berzelius e os símbolos químicos

Os químicos usavam uma confusa variedade de símbolos e abreviaturas muitas vezes inventadas por eles próprios. Até à segunda metade do século XIX, a fórmula H2O2 podia significar água para uns e peróxido de hidrogénio para outros. Não havia, praticamente, uma molécula que fosse representada da mesma forma em todo o lado.

O sueco J.J Berzelius (1779-1848) contribui com uma medida fundamental para introduzir alguma ordem nas coisas, ao estipular que os elementos fossem designados por abreviaturas baseadas nos respectivos nomes em grego ou latim, razão pela qual o fósforo é P (do latim phosphorum) e a prata é Ag (do latim argentum). O facto de muitas abreviaturas corresponderem aos nomes comuns (N de Nitrogénio, O de Oxigénio, H de Hidrogénio, etc.) deve-se à origem latina de grande parte das línguas do mundo ocidental. (retirado de Breve História de Quase Tudo)
Graças a Berzelius existe uma linguagem comum que permite que todos nos entendemos quando escrevemos O2, seja em holandês (zuurstof), em alemão (sauerstoff), em italiano (ossigeno), em chinês (yǎng qì) ou em português (oxigénio).

Sem comentários: